Xiaomi vale a pena comprar? Conheça os celulares da “Apple da China”

Xiaomi: vale a pena comprar um celular da empresa? Conhecida como “Apple da China”, ela se tornou uma das grandes marcas e fabricantes de smartphones do mundo. A razão de seu sucesso? Produtos muito baratos e potentes, que entregam performances muito superiores aos concorrentes na mesma faixa de preço. Com pouquíssimo tempo de mercado, a empresa se tornou a melhor opção para quem quer comprar celular Android. E promete crescer ainda mais.

“Futuramente, vamos falar da Xiaomi do mesmo jeito que falamos do Google e da Apple”, foi o que disse brasileiro Hugo Barra, ex-vice-presidente e porta-voz internacional da companhia há algum tempo atrás. O trabalho é para chegar nesse patamar: a empresa vem crescendo, aumentando suas capacidades para conseguir derrotar Samsung, Apple, Motorola e quem mais estiver no topo do mercado de smartphones. E está conseguindo.

A empresa ainda não completou 9 anos de existência, tendo sido fundada em abril de 2010 por 8 sócios (o número da sorte chinês), todos eles vindos de grandes empresas como Google, Motorola e Microsoft. Todos eles interessados em montar uma nova empresa inovadora, que ganhasse dinheiro de maneira diferente das outras fabricantes de gadgets. E fizeram, tiveram tanto sucesso que a empresa vale quase R$ 130 bilhões hoje e ultrapassou a Apple como uma das maiores fabricantes de celular de todo o mundo.

Xiaomi é boa? E confiável?

A primeira pergunta que a gente vai responder é se a Xiaomi é uma marca boa e confiável. Por aqui, ela ainda é pequena, sobretudo perto de gigantes como Samsung e Motorola, o que levanta dúvidas sobre ela nas pessoas que não estão por dentro do assunto. Contudo, em países como China, Taiwan, Malásia, Singapura, Índia e Indonésia, ela é gigante – líder de mercado em vários desses países -, vendendo mais de 60 milhões de celulares por ano.

Na verdade, a Xiaomi é uma fabricante comum de smartphones, que usa o Android como sistema operacional – então todos os aplicativos que são compatíveis com os celulares Samsung e Motorola também funcionam nos aparelhos Xiaomi. A única diferença é que a Xiaomi usa uma versão própria chamada MIUI, que tem uma aparência mais parecida com oiOS (sistema operacional da Apple) e várias melhorias.

Muita da desconfiança em relação a empresa chinesa reside no fato de que a empresa vende celulares muito, muito baratos (fora a reputação ruim que os aparelhos chineses possuem no Brasil por enquanto). Contudo, isso não passa de preconceito. Para entender como ela faz isso, precisamos entender como as fabricantes de celulares ganham dinheiro:

A maioria das fabricantes de celular ganha dinheiro vendendo o celular por mais do que ele custa. Ou seja, a Motorola vende seu celular por R$ 1.000, mas o celular custou apenas R$ 600 para montar. Esses R$ 400 viram lucro para a empresa (ok, tem os impostos, então o lucro é muito menor). Esse usuário não dá mais dinheiro para a Motorola até que resolva mudar de aparelho, o que faz com que a empresa tenha o incentivo de fazer a famosa “obsolescência programada”.

Já a Apple ganha dinheiro de duas maneiras diferentes, uma vez que ganha na venda dos aparelhos e através de seus serviços, como a loja de aplicativos e o serviço de músicas da empresa. Com isso, a Apple ganha duas vezes: na “vinda” do usuário para a plataforma dela (onde ela ganha uma bela grana, já que seus aparelhos são os mais caros) e de pouquinho em pouquinho durante o período em que ele continua usando um aparelho da Apple.

Neste ponto, a Xiaomi copia parte do que a Apple faz, mas não a outra.  A empresa limita a margem de lucro da venda dos aparelhos em apenas 5% (a Apple tem margens maiores que 60%), o que faz com que os celulares fiquem muito mais baratos e acessíveis para os usuários. Com isso, a empresa consegue vender mais aparelhos, formar uma grande quantidade de consumidores que passam a consumir os serviços da empresa, baixar aplicativos na loja deles e gastar dinheiro por mais tempo. Assim, a empresa ganha dinheiro de pouco em pouco e consegue fazer que seus aparelhos fiquem realmente baratos.

A maioria dos serviços da Xiaomi não estão disponíveis para os brasileiros, sendo exclusividade dos chineses, coisas como a loja de aplicativos deles (na China, não existe “Google Play Store” e os outros serviços do Google). Contudo, há algumas coisas que os usuários brasileiros podem comprar, como melhorias estéticas para a MIUI. Na prática, os celulares da Xiaomi fora da China são excelentes opções por serem muito baratos e contarem com todos os serviços do Google.

Onde comprar celular da Xiaomi?

Fortemente associado com a China, encontrar um smartphone Xiaomi no Brasil não é tarefa das mais simples. Nenhuma loja de operadora vende os celulares da marca e até pouco tempo ela não tinha operação oficial nacional no Brasil. Ela até chegou a ter, esnobou as tradicionais operadoras (decidiu que só venderia o celular pela internet) e acabou pouco tempo depois, alegando falta de mercado para seus aparelhos. A verdade é que ela só trouxe os modelos de entrada e estes não foram o suficiente para atrair muitos fãs para ela. O grande mercado gira em torno de seus modelos intermediários, que são sensacionais e baratos ao mesmo tempo!

Portanto, para adquirir um smartphone da Xiaomi, você basicamente tem duas opções: ou importar diretamente da China ou comprar de um importador. Entre as duas, recomendo fortemente que você compre de um importador ao invés de fazer isso sozinho – tem muito menos dor de cabeça, chega muito mais rápido, não tem o risco de ser tributado pela receita federal e caso o aparelho apresente problemas, a troca é muito mais fácil de ser realizada (principalmente se você comprar de um intermediário de confiança). Por mais que isso acarrete em pagar alguns reais a mais, isso pode te economizar muito tempo, dinheiro e garantir que a experiência seja muito melhor.

Você consegue encontrar importadores que já trouxeram os celulares através das lojas que oferecem marketplace para os usuários, como o Mercado Livre e a Amazon, sendo que eu recomendo esta última (afinal, ela sempre intervém decisivamente para o usuário e é uma empresa bastante confiável). Lá, você encontra dezenas de vendedores e os melhores preços para os aparelhos da Xiaomi. E caso você tenha algum problema, saberá que a companhia estará do seu lado para resolver e garantir sua satisfação, o que é bastante importante.

Loja Xiaomi em São Paulo

Tudo mudou recentemente, com a abertura de uma loja Xiaomi oficial no Brasil! Fica no shopping Ibirapuera, um dos principais da capital paulista. A loja vende praticamente todos os smartphones da companhia e vários outros produtos e mimos que a Xiaomi fabrica. Sua abertura foi de invejar, com horas e horas de fila para poder entrar na loja e aproveitar os produtos fabricados pela empresa chinesa. Meses depois da abertura, ainda é possível ver filas gigantes para entrar na loja.

Ter uma loja própria é uma grande ajuda para os fãs da marca conhecerem melhor seus produtos. Uma vez dentro da loja, é possível ver toda a gama de produtos e comprar lá mesmo – não é um modelo de loja que a compra é feita online, por exemplo. Então para quem quer o aparelho da companhia na mão na mesma hora, uma visita a loja é garantia de conseguir.

A loja tem uma cara de uma Apple Store, como é a cara das lojas da empresa fora do Brasil também. A inspiração é clara na empresa norte-americana, chegando na loja também. Contudo, é válido lembrar que a loja vende muito mais do que os produtos inspirados na Apple: a Xiaomi vende até mini-drone, pulseira, relógio… uma grande quantidade de itens.

Por enquanto, só existe essa loja em São Paulo mesmo. A empresa não afirma se existem planos para abrir novas lojas, mas com o sucesso da única que existe, acreditamos que existe, sim. Se você é de São Paulo, definitivamente vale a pena passar na loja do shopping Ibirapuera e conhecer a companhia – mas se não for, pode comprar online sem medo, desde que o faça de algum site sério e confiável, como a Amazon – onde é possível encontrar vários celulares desbloqueados e baratos.

Vale a pena comprar celular da Xiaomi?

Sabendo que os aparelhos são bons e a empresa é confiável e que dá para comprar facilmente no Brasil, vale a pena pegar um celular da Xiaomi? Para ser curto e grosso: sim, vale. Para mim, esta é a melhor opção no momento por conta do poder do celular e do preço. A companhia tem uma excelente linha de celulares que agradam a todos os gostos e bolsos no momento – a grande maioria pode ser adquirida no Brasil facilmente (tanto que a Xiaomi é a empresa que mais vende eletrônicos na Amazon!).

No momento, a Xiaomi é a fabricante com os aparelhos de preço mais justo. Ela supera os outros fabricantes chineses e, principalmente, as grandes marcas conhecidas pelo público nacional – como a Samsung e a Motorola. Nâo que essas marcas não tenham bons aparelhos, mas certamente a Xiaomi tem um aparelho no mesmo preço com especificações melhores e que deverá durar mais tempo.

Qual celular comprar?

Entre os aparelhos da Xiaomi, destaco quatro smartphones que acredito serem as melhores opções:

Xiaomi MiA2 Lite

O aparelho da linha de entrada da companhia, usando o Android puro (Android One) ao invés de usar a MIUI. O aparelho é bastante poderoso (tem 4 GB de RAM e processador Snapdragon 625), conta com 2 câmeras traseiras (uma de 12 megapixels e outra de 5) que trabalham em conjunto com uma inteligência artificial para tirar as melhores fotos possíveis. Vende por cerca de R$ 830.

Xiaomi Mi A2

Essa é a versão maior do Mi A2 lite, também contando com o Android Puro. Ele é levemente mais poderoso que a sua versão menor, com Snapdragon 660 ao invés de 625. A tela é maior e ele também é levemente mais fino, dado que a bateria é menor que a versão lite. Custa cerca de R$ 865, mas você também consegue encontrar boas pechinchas na Amazon.

Pocophone F1

Esse aqui eu acredito ser o melhor smartphone disponível no mercado no momento – tanto que fizemos um review completo sobre ele recentemente. Ele tem um poderoso Snapdragon 845 e 6 GB de RAM. Ele é tão poderoso ue a Xiaomi teve que incluir um sistema de resfriamento líquido, o que melhorou bastante seu desempenho eliminando as famosas “superaquecidas”. Ele tem uma tela de 6,18 megapixels, uma câmera de selfie frontal de 20 megapixels, duas câmeras traseiras de 12 e 5 megapixels que usam inteligência artificial para tirar as melhores fotos possíveis e ainda grava em 4K.

Além disso, ele tem uma bateria de 4000 miliamperes (uma bateria grande) e conta com entrada para fone de ouvido, coisa rara em celulares com essa potência atualmente. O mais interessante, porém, é que ele tem desempenho de top de linha com preço de intermediário: na Amazon é possível encontrar ele por cerca de R$ 2.000, chegando a encontrar até por R$ 1.700 em alguns casos. É o meu celular e é espetacular. Recomendadíssimo.

Mi 8

Por fim, deixo aqui o Mi 8, que tem configurações muito parecidas com o Pocophone – apenas levemente melhores. Também são 6 GB de RAM e um Snapdragon 845, mas as duas câmeras traseiras são de 12 megapixels, um incremento frente seu primo (elas também gravam em 4K). A diferença é que um celular com “cara” de mais bem-feito que o Pocophone F1. As diferenças de hardware são poucas, mas o preço é bastante mais alto: na Amazon, você o encontra por cerca de R$ 1.800. Ele provavelmente é um dos smartphones mais bonitos que você vai encontrar no mercado.

Outros gadgets

Além de ser uma excelente fabricante de Smartphones, a Xiaomi também produz vários outros tipos de aparelhos eletrônicos na China (alguns deles podem ser adquiridos no Brasil). A Xiaomi produz computadores, notebooks, aparelhos de IoT (Internet das Coisas), aspiradores, monitores de pressão sanguínea, purificadores de ar, drones, roteadores, televisões, câmeras, homespeakers e até mesmo os famosos patinetes elétricos! Deixo aqui algumas sugestões de produtos que você pode olhar da empresa e que são muito interessantes: