Os melhores jogos de Playstation

Um videogame que marcou época e mudou coisas, é isso que o PS1 é – colocando a Sony de vez. As grandes empresas da época abandonaram a Nintendo e começaram a desenvolver para este videogame, gerando uma grande quantidade de grandes títulos. Hoje, é normal se perguntar: quais os melhores jogos de Playstation?

Abaixo, eu escolhi dez. Sinceramente, não são tão bons quanto os melhores jogos do Super Nintendo, o melhor console da história – nem tão bons quanto o seu sucessor, o Playstation 2, possivelmente em linha com seu maior rival, o Nintendo 64.

Contudo, a quantidade de jogos é tão grande que a gente teve que escolher muito bem para selecionar apenas 10, sendo que isso fez com que alguns clássicos não estivessem aqui, como Twisted Metal, Winning Eleven 3 (com bomba patch!), Final Fantasy VIII e outros grandes jogos que agraciaram a época. Os 10 jogos aqui certamente revolucionaram!

Conheça os melhores jogos de Playstation

Crash Bandicoot

Se a Nintendo tinha o Mario e a Sega tinha o Sonic, a Sony precisava de um mascote, certo? Então conseguiram criar o Crash Bandicoot, um marsupial que está tentando salvar a namorada de um cientista maluco que planeja conquistar o mundo. História padrão para jogos desse tipo, muito comuns na época.

A diferença para outros jogos clássicos de plataforma é que Crash Bandicoot mostra todo o potencial 3D do Playstation, uma grande novidade na época. Se os jogos de plataforma tradicionais vão da esquerda para direita, Crash o coloca em um mundo 3D que vai para dentro da tela – e com gráficos lindos para a época.

PaRappa the Rapper

Outro jogo que chamou bastante atenção foi este aqui, bastante inovador. Com gráficos toscos até mesmo para a época e uma história que parece ter sido criada por um jovem usando drogas pesadas, PaRappa the Rapper é um dos melhores jogos do Playstation pelo grau de diversão que garante ao jogador, principalmente quando se joga em grupo.

Aqui, você “canta” raps ao apertar botões no momento certo, dando origem ao fenômeno Guitar Hero que chegaria alguns anos depois. O jogo é incrivelmente divertido, vale muito a pena tentar – ele provavelmente foi uma das maneiras para a Sony mais ganhar dinheiro, já que você praticamente detonava o controle jogando. Muito bacana!

Tomb Raider

Lara Croft se tornou um nome conhecidíssimo – a ponto de ter vários filmes com uma das maiores estrelas de Hollywood -, mas vamos relembrar como isso começou: um jogo de aventura muito inovador no Playstation. Os gráficos eram toscos, mas para a alegria da moçada adolescente da época, a Lara Croft vinha com dois peitos enormes que ajudaram a popularizar a personagem.

O jogo foi um mapa para novos jogos de aventura 3D, com imensa liberdade – chegando a ser comparado com o mítico Super Mario 64. Revolucionário, Tomb Raider marcou época e chamou a atenção de muita gente – e teve várias sequências muito boas no Playstation e no Playstation 2.

Tony Hawk Pro Skater 2

Outro jogo que marcou época foi o Tony Hawk’s Pro Skater, tanto que fica até difícil escolher entre o 1 e o 2 (os dois que saíram para o Playstation 1). Revolucionário, o jogo foi responsável para que muita gente começasse a gostar de skate no começo dos anos 2000 – com o carisma do lendário Tony Hawk, ainda hoje um dos grandes nomes do esporte.

Tony Hawk’s Pro Skater 2 te levava para diversas fases diferentes com o intuito de fazer o máximo de pontos possíveis ou conseguir vários objetivos diferentes, tudo com seu skate e vários personagens (reais) para escolher. É absolutamente viciante e você só vai descansar quando começar a fazer milhões de pontos!

Resident Evil 2

Poucas franquias tiveram tanto sucesso como Resident Evil, que teve seus principais jogos lançados na época do Playstation 1. Esse jogo é um clássico, conseguindo superar até o primeiro jogo da franquia, que também é um dos mais memoráveis do console – e foi bastante difícil escolher entre os dois. No fim, o Resident Evil 2 ganha por pegar tudo que o primeiro fez de certo e melhorar um pouco mais.

Resident Evil 2 apresenta dois personagens principais, cada um com sua parte da história bem delimitada, tentando fugir da famosa Racoon City. O enredo é muito bem contado, a cidade é muito imersiva, a história da Umbrella Corporation é muito bem contada, enfim o jogo é todo certo. Os gráficos são ótimos e a trilha também.

O jogo ainda recebeu uma continuação, Resident Evil 3, no próprio Playstation, mas que não era tão bom quanto o 1 e o 2. O sucesso é tão grande que em 2019 fizeram um remake do próprio Resident Evil 2, para Playstation 4, Xbox One e PC, com gráficos, sons e jogabilidade atualizada (com vários elementos do Resident Evil 4).

Infelizmente, na época o jogo não vendeu tão bem quanto o esperado, o que fez com que a Capcom transformasse os próximos jogos, colocando mais ação neles. Portanto, Resident Evil 2 é o melhor expoente desta forma de jogo e vale muito a pena ser jogado!

Tekken 3

Em uma época dominada por Street Fighter e The King of Fighters, o melhor jogo de luta do Playstation, na verdade, se tornou Tekken 3, da Namco. Depois de duas versões de sucesso, a empresa resolveu lançar uma terceira versão com praticamente todos os elementos que garantiram o sucesso até lá: uma jogabilidade sensacional, gráficos matadores (para a época, claro), uma história cativante, personagens interessantes e muita pancadaria arcade.

Tekken 3 dá um salto temporal de 20 anos frente o Tekken 2 e isso se mostra na grande ambição que o jogo apresenta. São vários personagens novos: Hwoarang, Jin Kazama, Bryan Fury, o capoeirista Eddy Gordo, Panda, Julia Chang… personagens que ficariam na franquia por anos e se tornariam alguns dos mais populares por anos! Cada um deles era muito bem construído, com personalidades próprias, estilos de lutas completamente diferentes e que levavam a história da franquia adiante. A Namco mostrou que sabia reconstruir Tekken.

Cada personagem tinha uma história própria, motivação própria para participar do torneio promovido pelo vilão Heihachi, com cenas de CGI próprias que contavam essa história claramente, inclusive muito bonitas para a época que elas foram feitas. Além disso, havia uma enorme carga de replay nesse jogo – já que você precisava zerar ao menos uma vez com cada personagem e poderia jogar com os amigos. Tekken 3 é o melhor jogo de luta de sua geração (só comparável com o Super Smash Bros do Nintendo 64).

Castlevania: Symphony of the Night

Uma das franquias de maior sucesso entre os anos 80 e 2000, Castlevania nunca conseguiu passar com sucesso para o 3D, tendência que começou a crescer justamente com o Playstation. Por isso, Symphony of the Night, um dos nomes mais poéticos para jogos que existem, é o ápice dessa franquia tranquilamente – e apontado como um dos melhores jogos de todos os tempos.

Esse jogo começou a ser desenvolvido para o Sega 32X, que não teve muito sucesso. A Konami, muito espertamente, mudou para o Playstation. Infelizmente, o jogo não teve muito sucesso quando foi lançado, principalmente nos Estados Unidos. Contudo, como ele foi muito bem avaliado, ele acabou recebendo sucesso anos depois – e terminou como um dos mais vendidos do Playstation.

Symphony of the Night leva o jogador novamente para o Castelo do Drácula, mas desta vez controlando Alucard – o filho meio-humano do vilão – ao invés de algum membro da família Belmont. É um jogo que estimula exploração, ao invés de ser totalmente linear, com várias partes do castelo se abrindo para o jogador apenas após a obtenção de uma certa habilidade ou um item durante o período. Isso faz com que a história seja muito bem conduzida durante o jogo inteiro.

Alucard fez tanto sucesso que se tornou uma peça central na franquia, e um dos personagens mais importantes na adaptação de anime da Netflix. É um grande jogo, muito interessante.

Gran Turismo 2

O primeiro Gran Turismo foi completamente transformador para os jogos de corrida – criando, pela primeira vez, um simulador realista. A sua sequência, por sua vez, expandiu ainda mais o conceito e fez um dos melhores jogos de toda a história. É talvez a franquia exclusiva do Playstation mais conhecida de todas.

Gran Turismo 2 começa com você disputando torneios amadores com carros fracos e usados, ganhando dinheiro, fama e licenças para disputar os torneios mais avançados. É uma progressão lenta, continuada, cada vez mais interessante. Você vai liberando mais pistas, mais carros, mais variações, mais tudo.

E pela primeira vez, um simulador tinha QUASE todas as montadoras de carros (da época, obviamente). O que estava faltando? Ferrari e Porsche (que, na verdade, podiam ser adquiridos por conta dos carros da RUF). Eram milhares de carros para você comprar e colecionar – e eu não conheço ninguém que conseguiu completar todos.

São corridas fantásticas (algumas com mais de 24 horas, que obrigava você a revezar com os amigos!), gráficos fantásticos, uma trilha sonora muito boa e história sendo feita. Esse é o melhor jogo de corrida da sua geração e vale muito a pena jogar até hoje (não conheço nenhum que tenha o mesmo feeling que GT2).

Final Fantasy VII

O maior golpe que a Nintendo já levou na vida foi ter perdido os jogos da Square para a Sony. Esse foi um dos principais motivos para que o Playstation derrotasse o Nintendo 64 nesta geração. Depois de viver provavelmente o auge dos RPGs com Chrono Trigger (feito em conjunto com a equipe da Enix, que na época era uma empresa separada), a Square levou a franquia Final Fantasy ao teu ponto máximo, com FF VII – embora também tenha lançado o VIII e o IX para PlayStation.

Esse é o primeiro jogo 3D da série e funcionou muito bem, com gráficos bacanas e uma trilha sonora muito bacana (como de praxe para a série). A jogabilidade também é muito boa e não deixa nada a desejar até o dia de hoje e o nível de dificuldade é muito bacana e desafiante para um RPG da década de 90.

O que é o espetacular desse jogo, porém, é a história, os personagens e o desenvolvimento do enredo – provavelmente o segundo melhor do PlayStation (só vai perder do primeiro colocado). Os personagens são fantásticos, existe um momento do jogo que vai cortar seu coração e o sucesso é tão grande que fez com que tivesse até mesmo um filme do FFVII lançado oficialmente. Vale MUITO a pena jogar e ele é provavelmente o melhor RPG da história.

Metal Gear Solid

Um filme interativo. Essa é impressão que você sai quando joga Metal Gear Solid pela primeira vez. O início do jogo já é espetacular neste sentido. Mais um sucesso da Konami, foi esse jogo que transformou Metal Gear em uma das maiores franquias da história (até a empresa resolver destruir tudo colocando zumbis no jogo). Esse jogo é o fruto da brilhante mente de Hideo Kojima.

Os gráficos são ótimos para a época, os sons também e a inteligência artificial idem. A jogabilidade é boa e te permite fazer escolhas muito diferentes a cada vez que você jogar (você quer brincar de Rambo? Ok. Você quer que ninguém te veja? É possível também), com a exceção das batalhas com os chefes. Há uma grande variedade de armas e caminhos também – para um jogo linear, ele te faz sentir não-linear.

A história e o enredo são fantásticos: você realmente se sente Solid Snake, você compra a missão, faz amizades e se surpreende com as viradas na história – algumas das melhores que você pode ver em todos os jogos – ou com as enormes surpresas que existem no jogo. Aliás, quando terminar o jogo, permaneça com o Playstation ligado até o final, já que existe uma cena pós-crédito que bate todas as da Marvel! Esse jogo é o melhor de toda a geração e deu origem a alguns dos melhores de todas as gerações no Playstation 2. É fundamental