Jair Bolsonaro é uma Dilma 2.0 e vai destruir o Brasil de vez

Parabéns Brasil! Quatro anos depois de fazer a maior cagada eleitoral de sua história reelegendo a pior presidente de nossa história, estamos nos preparando para superar isso em grande estilo! Vamos eleger aquela pessoa que vai assumir, talvez de uma vez por todas, o posto de PIOR presidente da nossa história. Trata-se de Jair Bolsonaro, aquele deputado falastrão que tem se tornado cada vez mais favorito justamente por conta das coisas politicamente incorretas que ele fala.

Só que se o problema dele fosse só o politicamente incorreto, a constituição protegi (se ele resolvesse seguir a constituição). Bolsonaro também é uma das pessoas mais ignorantes a respeito de economia que esse país já teve. Tanto o Bolsonaro quanto a Dilma acreditam nas mesmas coisas colocam essas coisas acima de tudo que lhes colocam na frente. Sabe o que já aconteceu? Ele já teve que dar pito no Paulo Guedes por causa disso.

Bolsonaro entende menos de economia até que a Dilma

Enquanto a Dilma teve uma (má) formação como economista, Bolsonaro veio de uma ala das forças armadas que tinham como solução aumentar o Estado (e olha no que deu). Na época das privatizações, disse que precisava “fuzilar” o Fernando Henrique Cardoso por causa da venda da Vale do Rio Doce para os “estrangeiros”. Vamos ignorar o disparate autoritário e focar só na crítica que ele fez: ele é contra a transferência de uma estatal para o privado.

Dá uma olhada nesse vídeo… onde ele tem um discursinho que faria Dilma Rousseff orgulhosa: “estão vendendo o país!”, “desnacionalizando!”. Você pode argumentar que o vídeo é de 20 anos atrás e que ele “estudou”. Só que isso eu duvido que ele tenha mudado. Até hoje o discurso dele é cheio de arremates nacionalistas, contra “os interesses dos países estrangeiros”. Além disso, fala sobre “segurar preço de combustível”, “diminuir tarifas públicas” e repete a expressão “interesses do FMI” várias vezes. Sabe quem fez tudo isso? D-I-L-M-A R-O-U-S-S-E-F-F.

Bolsonaro vai dar um pé na bunda do mercado assim que se eleger

O candidato, porém, tem escolhido uma posição mais liberal neste momento – que é de fachada, na minha opinião. Nesse mesmo vídeo ele é contra a reforma da previdência, por exemplo. Agora, votou a favor citando questões meramente eleitorais. Assim que passar a eleição, ele volta ao normal e passa a agir de acordo com os “interesses nacionais” (um nome bacana para populismo de quinta).

Ora, com o mandato na mão e a maioria dos votos lhe sendo dados por conta da postura politicamente incorreta (não a liberal), ele vai fazer o que quiser. Vai demitir os liberais assim que tiver que tomar decisões de “soberania nacional”. Vai colocar tarifas protecionistas (estilo Trump) e destruir a economia de vez. Simples assim.

Vai conseguir fazer as cagadas que a Dilma não conseguiu

Tem um lance pior sobre o Bolsonaro. A Dilma não tinha noção de como o congresso funciona, o Bolsonaro tem tempo de casa o suficiente para saber como lidar com aquilo. Isso quer dizer que ele vai ser perigoso, pois vai conseguir fazer as “mudanças” que a Dilma tanto queria. Estímulo para indústria nacional? Check. Segurar preços? Também.

Basta dar o pé na bunda do mercado e abraçar o lado populista e já era. Aliás, sabe quem são os heróis dele? Não são os presidentes que foram elogiados pelo mercado (quem foi? Risos) e pelos liberais. São os populistas dos militares. Aqueles mesmos que criaram 453765869 estatais e saíram do governo com estagflação, déficit e dívida crescente. Esses são os ídolos do Bolsonaro e o pessoal que ele vai querer imitar se for eleito.

Acabar com a corrupção? Esquece

Um dos argumentos mais usados a favor do candidato Dilmista 2.0 é que ele é contra corrupção. MENTIRA DESLAVADA. Primeiro, deslizes de caráter . Ou você se esquece que ele a) usou verbas de auxílio-moradia (mesmo tendo onde morar em Brasília) para “comer gente” e b) recebeu dinheiro da JBS e “devolveu” no dia seguinte transferindo para o ex-partido dele?

Fora que o governo que ele tanto idolatra, o militar, foi cheio de corrupção. Os presidentes podem até ter morrido na miséria, mas foi o governo militar que fez as empreiteiras virarem o que viraram – gastaram bilhões de dólares para tirar a Transamazônica do papel e essa rodovia é talvez uma das piores do MUNDO. Só que havia censura, então ninguém falava porra nenhuma de corrupção.

Militares fizeram bem para o país? Você pirou?

Isso me faz entrar em outro assunto: que bem os militares fizeram para o país? Entraram numa pira desenvolvimentista maluca que só gerou dívida, inflação e caos econômico nas décadas seguintes. O “milagre econômico brasileiro” criou uma década perdida, uma estagflação. E a conta disso aí a gente paga até hoje (a economia brasileira é fortemente indexada por causa dessa época, o que gera mais inflação, bla, bla, bla).

A censura, porém, fazia tudo parecer decente, afinal, quem vai falar mal contra um governo que pode mandar te prender a qualquer momento? Então não é nem uma questão de terem torturado, etc… sendo BEM prático, ignorando democracia, foi um governo incompetente.

Resultado disso tudo: hiperinflação, economia na merda

Eleger o Bolsonaro vai resultar em… merda. Assim que ele der o pé na bunda do mercado, veremos o Brasil ir para um populismo de direita EXTREMAMENTE ignorante. Não quero isso nem nos meus piores sonhos.

Mas ei, em quem eu voto?

Então, eu vou dar a real. Se você tem inclinação para direita, vota no Alckmin, que é um cara competente e governa o estado mais rico da nação há séculos (e a crise em São Paulo foi MUITO menor que no resto, muito por mérito do governo estadual).

E se você tem inclinação para a esquerda, vota no Ciro Gomes, que defende manutenção de um sistema de governo que já deu certo, tem ideias corretas e já admitiu que é preciso fazer reformas (que nem a previdenciária). Aliás, candidato este que esteve dos lados das privatizações quando preciso foi (e foi contra, quando não precisava).

Só, por favor, não me venha votar no Bolsonaro. Ou você vai estar condenando o Brasil ao pior presidente que este país já teve – superando até mesmo a Dilma Rousseff e todas as merdas que ela foi capaz de fazer.